MEI: Não é só uma gripezinha

MEI: Não é só uma gripezinha

Adm. Fabrine Schwanz, Conselheira no Conselho Regional de Administração do Espírito Santo (CRA-ES)

Em meio a expansão da Pandemia do Coronavírus, além de todos os cuidados que devemos tomar com a saúde, uma preocupação a mais surge para os Microempreendedores individuais – MEI: como manter as atividades econômicas em meio a uma situação como esta? Tem aumentado o número de pessoas que tem constituído MEI, até mesmo em detrimento dos altos índices de desemprego, e pode ter até 1 funcionário. Temos que lembrar que o MEI tem uma característica especial, pois ele é o patrão e funcionário ao mesmo tempo, e assim sendo, caso deixe de trabalhar, o negócio pára! E estamos falando aqui, considerando as informações disponíveis no Portal do Empreendedor, de atividades, onde predominam profissionais ligados ao setor de beleza, comerciantes de vestuário e acessórios, do ramo de alimentos, promotores de vendas, que fazem parte do nosso dia-a-dia e que são peça fundamental para nossa economia.

Bom, e aí: o que fazer? Em primeiro lugar é preciso ter calma. Temos que lembrar que os pequenos negócios têm uma grande vantagem competitiva, pois conseguem se adaptar mais rápido. Agora, é importante lembrar que o pequeno também tem menos fôlego financeiro, e acaba tendo que, em suas próprias palavras, “vender o almoço para pagar o jantar”. Por isso é essencial colocar no papel a situação real e se fazer uma pergunta crucial: vou conseguir realizar minhas atividades neste período, de forma que seja possível pagar as contas? 

E essa resposta vai direcionar muito as decisões que cada empreendedor deverá tomar a partir de agora. Dentre as medidas que devem ser adotadas, tudo deve sempre começar pelas que precauções e cuidados com a saúde e higiene, como a higienização constante das mãos, utensílios e espaços, evitar-se aglomerações, dentre outras medidas amplamente divulgadas. Para além disso, esse é o momento de buscar soluções criativas para enfrentar essa crise, repense seu negócio. A tecnologia pode ser uma grande aliada neste momento, é o momento de intensificar a utilização das redes sociais para divulgar, promover vendas por internet, utilizar o whatsapp para atender seus clientes, dentre outras ferramentas que estão disponíveis gratuitamente. Além disso, sempre que possível, utilize o sistema de delivery, levar o seu produto ou serviço até o cliente é uma forma inclusive de contribuir com que as pessoas se mantenham em casa e se protejam em tempos de coronavírus. 

Agora, se de todo jeito, essas mudanças ainda não forem suficientes para fechar o caixa, considere a possibilidade de buscar linhas de crédito, muitas instituições bancárias têm linhas especiais para o MEI, com taxas bem mais baixas. E apesar de todas as expectativas negativas, aproveite o momento para se capacitar, existem vários cursos à distância gratuitos que podem contribuir para que seu negócio se torne cada vez mais competitivo e resiliente.