Cresce em até 25% os resíduos sólidos produzidos nas casas

Cresce em até 25% os resíduos sólidos produzidos nas casas

Dados mostram relevância da adoção de boas práticas na Gestão de Resíduos

Aumentou em até 25% os resíduos sólidos proveniente das residências de todo o país, segundo a  Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe). Os dados ainda informam o crescimento considerável, em até 20 vezes, dos resíduos hospitalares em unidades de atendimento à saúde. O que levou à situação? A emergência sanitária provocada pela pandemia do Covid-19, bem como, as medidas de quarentena, isolamento e distanciamento social.

O cenário desafiador revela-se também como uma oportunidade para os profissionais da Administração. “Isto porque é necessário fazermos uma Gestão de Resíduos com boas práticas, desenvolvermos protocolos eficazes para resguardar a população e promover a destinação correta. A situação que estamos vivenciando traz essa demanda”, pontuou  diretor da Unidade de Fiscalização e Conselheiro do CRA-ES, o Adm. Robson Brandão Neves.

Segundo ele, o profissional de Administração tem um papel importantíssimo neste cenário. “Estamos falando de gestão: ambiental, responsabilidade social e desenvolvimento com sustentabilidade. É preciso estar atento às necessidades do mercado. Isso é fundamental para que o processo de desenvolvimento de resíduos e higienização aconteça de modo a tornar a organização mais competitiva”, completou ele.

Para isso, o diretor e conselheiro informou que, em sua visão, são consideradas boas práticas de gestão: a implementação e utilização de ferramentas e recursos gerenciais capazes de corroborar para a eficácia de todo o processo; estratégias, planejamento, indicadores, avaliação de desempenho, monitoramento, conhecimentos específicos de impactos ambientais.